Embraco-e-vendida-nidec

Por esse valor, a multinacional conhecida por suas soluções de refrigeração virou japonesa. A norte-americana Whirlpool, que também é dona das marcas Brastemp e Consul, anunciou essa semana que assinou um contrato para vender a Embraco à Nidec, empresa do Japão, por US$ 1,08 bilhão.

A alta concorrência de fabricantes de compressores, em especial da China, pressionando preços e a rentabilidade para baixo, teria pesado na decisão. De acordo com o comunicado à imprensa, o negócio deve ser concluído no início de 2019, e seu valor está sujeito a ajustes habituais de capital de giro e endividamento.

“Estamos orgulhosos de nosso forte portfólio de marcas globais de consumo. Como a Embraco opera no mercado B2B (business-to-business), essa transação aprimora nosso foco estratégico em investir e expandir nossos negócios voltados ao consumidor final”, explica Marc Bitzer, diretor executivo da Whirlpool.

Vale lembrar que ao todo, a Embraco possui oito fábricas de compressores, com cerca de 11 mil funcionários, localizadas no Brasil, Itália, China, México e Eslováquia, além de escritórios comerciais nos EUA e no México.

Mais negociações com a Nidec

A Whirlpool também deve iniciar negociações com a Nidec para seguir sendo abastecida de compressores, apoiada principalmente em contratos de longo prazo. O negócio de compressores é algo relativamente novo para a empresa japonesa. Sediada em Kioto, a Nidec é uma das maiores fabricantes de motores de precisão do mundo, usados em computadores.

No ano fiscal encerrado em março deste ano, registrou lucro líquido de 132 bilhões de ienes (US$ 1,2 bilhão), um aumento de 18% em relação ao ano fiscal anterior, e uma receita de 1,5 trilhão de ienes (US$ 13,5 bilhões), ou seja, alta de 24%.

Uma fonte próxima da transação avalia que, uma vez assumida pelos japoneses, dificilmente a Embraco no Brasil terá sua administração descartada, e também não se considera um cenário de demissões em massa. “A Embraco continuará a ser um fornecedor altamente valorizado para a Whirlpool, e esperamos que seus clientes e funcionários prosperem sob a propriedade da Nidec”, justifica João Carlos Brega, presidente da Whirlpool na América Latina.

O que você acha sobre essa negociação?

Redação do Portal WebArCondicionado