Doação anônima de dez aparelhos de ar-condicionado é feita a hospital do Mato Grosso

Doação anônima de dez aparelhos de ar-condicionado é feita a hospital do Mato GrossoO hospital municipal de Arapuanã (MT) poderia ser somente mais um exemplo da falta de climatização. No entanto, um grupo de empresários decidiu doar, anonimamente, 10 aparelhos de ar-condicionado do tipo Split para o Hospital Municipal Santo Antônio. O fato inusitado aconteceu porque a cidade, localizada à 900 km de Cuiabá, não possuía recursos para realizar a instalação de um sistema adequado de climatização para o local. A entrega já foi feita e os aparelhos serão instalados em breve na estrutura do local.

Climatização e saúde
Apesar dos benefícios e das normas que lidam com a climatização de ambientes fechados, a carência de investimentos no setor fazem com que os trabalhos sejam paralisados e prejudicam aqueles que necessitam de assistência médica. Percebendo que a prefeitura não possuía recursos para investir no hospital, um grupo de empresários decidiu arcar com os custos e fornecer os aparelhos ao município. Segundo o secretário municipal de Saúde, Clayton Carvalho Esteves, os aparelhos já estão sendo instalados. O processo aconteceu depois de ser feito uma análise para garantir que a rede elétrica comportaria a instalação, o que felizmente aconteceu.

Ação anônima
Mesmo realizando um ato de caridade para o município, os empresários optaram por permanecerem no anonimato. Em entrevista, o secretário declarou que o grupo não quis ser citado por motivos particulares. Mesmo assim, agradeceu o apoio dado pela população e o fato de estarem cientes das dificuldades apresentadas pelo município.

Repasses e impasses
Hospital Municipal Santo AntonioDe acordo com Clayton quanto ao repasse financeiro da cidade, até agora 50% da dívida com a saúde dos municípios, somente 25% foi pago pelo governo. O resto vem sido pago pela própria prefeitura de Aripuanã. “Estamos trabalhando com o orçamento proposto, e infelizmente ele é inviável”, afirma. Porém, o secretário afirma que foi possível reativar o consórcio da saúde, que estava paralisado para os atendimentos em Juína e os encaminhamentos para Cuiabá, entretanto a demanda está grande e o estado “não tem cumprido com suas obrigações”.

Por fim, o secretário falou sobre a parceria com o Ministério Público, que tem contribuído para o município. “A promotoria e o juiz Fabrício têm sido parceiros da prefeitura fazendo a reversão de várias penas. As pessoas penalizadas fazem as doações e com isso nós conseguimos comprar passagens e medicamentos para a população” concluiu.

Texto criado exclusivamente pelo setor de jornalismo do Portal Web Ar Condicionado.

Você gostou desse conteúdo?

  • Links Patrocinados

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>