Responsáveis pelo funcionamento do ar-condicionado e outros sistemas de refrigeração, os fluidos refrigerantes merecem certos cuidados na hora do transporte. Para que a logística seja feita de maneira segura, é necessário estar atento a alguns pontos específicos, disponíveis em documentações que visam instruir sobre o serviço de transportar os fluidos.

Mas para ajudar você, decidimos postar aqui os cuidados básicos na hora de realizar esse serviço, prezando sempre pela segurança e responsabilidade, vamos começar?

Transportando os fluidos refrigerantes

A atenção deve iniciar pelo próprio local onde os cilindros que levam os fluidos serão colocados. Os veículos utilizados para realizar essa demanda devem ser abertos. Isso significa que carros e vans fechados não são aconselháveis, mas caso seja a única opção, o interior do automóvel deve estar bem ventilado para a circulação do ar. Além disso, para garantir a segurança, o veículo deve portar um extintor.

Leia também: Qual fluido refrigerante meu aparelho utiliza e é possível alterá-lo?

Outro detalhe é que os cilindros devem ficar protegidos de movimento, evitando que eles se abram acidentalmente ou fiquem rolando dentro do automóvel. Isso serve para lembrar também sobre o uso de uma tampa protetora nos recipientes durante o transporte. Caso não seja possível colocá-la, é importante ter cuidado redobrado para proteger a válvula de abertura dos danos que podem ser causados.

Na hora de levar e retirar os cilindros do veículo, a sugestão também é amarrá-los em algum dispositivo com rodas para facilitar, lembrando de nunca deixar os recipientes deitados e rolar. No caso do transporte dentro da fábrica, uma empilhadeira deve ser usada para mover os cilindros em cima de pallets, com cuidado para não apertar nem puxá-los pela válvula.

Documentação sobre os fluidos refrigerantes

Como mencionamos acima, além dessas instruções direcionadas ao transporte, vale a pena se informar através de documentos específicos sobre essa situação aplicada a produtos químicos, que englobam a categoria dos fluidos refrigerantes.

Um documento muito importante que apresenta diretrizes globais sobre o transporte de produtos químicos é o Transport of Dangerous Goods “Orange Book”, das Nações Unidas. Para complementá-lo, cada país ainda tem sua própria legislação de acordo com a realidade local. No Brasil, por exemplo, há a Resolução 420 da Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT, e nos Estados Unidos, o Department of Transportation – DOT. Em outros países existem ainda agências específicas que cuidam do transporte de produtos químicos.

São documentos como esses que instituem instruções complementares ao Regulamento do Transporte de Produtos Perigosos e disponibilizam uma lista de classificação para os produtos químicos, trazendo ainda informações sobre como deve ser transportado cada produto por quantidade, tipo de embalagem, dados de compatibilidade, etc. O objetivo é manter a integridade do produto e dos envolvidos em sua logística.

Por fim, pode-se consultar também a seção 14 da FISPQ (Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos) / HTS (Hoja Técnica de Seguridad del Material) / MSDS (Material Safety Data Sheet), que inclui instruções para o transporte aéreo, marítimo e terrestre de produtos químicos.

Redação do Portal WebArCondicionado