Nos dias 24 e 25 de fevereiro, o Rio de Janeiro foi sede do Seminário sobre Sistemas de Água Gelada, iniciativa da Gerência de Proteção da Camada de Ozônio (GPCO) do Ministério do Meio Ambiente (MMA). No evento, engenheiros, profissionais de empresas de economia de eficiência energética e especialistas do setor de refrigeração e ar-condicionado discutiram sobre assuntos ligados aos sistemas de água gelada.

Segundo Paulo Fernando Presotto, vice-presidente da ASBRAV, apoiadora do seminário, o foco principal das abordagens foi a combinação da melhoria da eficiência energética das edificações com a maximização dos benefícios econômicos e ambientais quando utilizados aparelhos de ar condicionado.

“Muitos equipamentos ainda utilizam em seus processos de refrigeração do ar substâncias como clorofluorcarbono (CFC) e hidroclorofluorcarbono (HCFC), que, liberados na atmosfera, prejudicam a camada de ozônio. No seminário tivemos a oportunidade de acompanhar temas relevantes como as novas tecnologias de alta eficiência e baixo impacto ambiental capazes de substituir o CFC e o HCFC; os processos de otimização, comissionamento e retrocomissionamento de sistemas de ar condicionado; as normas técnicas, medição e verificação de desempenho, entre outros”, salienta Presotto.

Proteção da camada de ozônio
Além de fazer parte do Projeto Demonstrativo para o Gerenciamento Integrado do Setor Chillers, coordenado pelo MMA e implementado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), o seminário integra as atividades brasileiras destinadas à proteção da camada de ozônio no âmbito das ações do Protocolo de Montreal, que determina a redução de substâncias nocivas.

O Seminário Sobre Sistemas de Água Gelada terá mais duas edições ainda no primeiro semestre deste ano. Nos dias 30 e 31 de março e 1º de abril, em Fortaleza, no Ceará, e em 27 e 28 de abril, em São Paulo, ambas apoiadas pela ASBRAV.

Redação do Portal WebArCondicionado