donald-trump-carrier

Mais 215 funcionários da Carrier irão perder seus empregos nos próximos dias. Segundo a indústria de ar-condicionado, essa é rodada final de demissões na fábrica de Indianápolis, nos Estados Unidos, onde em julho passado a empresa já havia demitido cerca de 300 trabalhadores da planta.

Vale lembrar que essa decisão começou em fevereiro de 2016, quando a companhia pegou todos de surpresa ao anunciar que daria início à mudança de local de trabalho para Monterrey, no México. Na época, foi publicado um vídeo que ganhou grande repercussão na internet, alcançando quase 4 milhões de visualizações ao registrar a reação dos empregados da fabricante ao ficarem sabendo da decisão.

Promessa de novas oportunidades na Carrier

De acordo com a Carrier, essa mudança é fruto de uma ampla revisão de suas operações industriais e visa adaptar a empresa às profundas transformações que o mercado global de climatização está passando. “Após a transição, as operações da Carrier em Indianápolis empregarão cerca de 1.100 pessoas”, informa o comunicado.

Contrário à saída da empresa dos Estados Unidos, o presidente Donald Trump tem apresentado tentativas de fazer com que a fabricante permaneça no país. Em novembro de 2016, Trump anunciou a concessão de um incentivo fiscal para preservar cerca de mil empregos em Indianápolis, após a empresa divulgar que fecharia suas instalações por lá.
Seguimos acompanhando essa jornada.

Redação do Portal WebArCondicionado