[ x ] Fechar

Calor leva pais a exigirem ar-condicionado nas escolinhas

  • 30 de janeiro de 2013
  • Nenhum Comentário

Calor leva pais a exigirem ar-condicionado nas escolinhasDesde o final do ano passado há recordes de calor em todos os cantos do Brasil. E nesta época, além das altas temperaturas é típico ocorrerem oscilações climáticas e baixa umidade, que podem trazer risco á saúde. E é devido a estes problemas que muitos pais gaúchos começaram a exigir nas escolinhas a instalação de aparelhos de climatização em Porto Alegre.

De acordo com os familiares, as crianças convivem diariamente com o ar condicionado em casa, no carro e entre outros locais, exceto quando estão na escola. O que levou as instituições a iniciarem projetos de refrigeração das salas de aula.

Pais à favor da mudança

Em reportagem publicada no ClicRBS, muitos pais que vivem em Porto Alegre (RS), não querem que os filhos passem mais calor. Diante de inúmeras reclamações, uma escola de educação infantil da capital gaúcha começou a ver orçamentos de aparelhos para climatização das salas de aula.

Mãe de um garoto de 2 anos e meio, a psicóloga Adriane Turatti de Rose, defende a mudança:

— Acho muito melhor eles estarem refrescados do que passando calor. Senão, ficam irritadiços, cabisbaixos.

Antes contrários aos aparelhos de ar condicionado, a escola explica que a posição era baseada em argumentos dos pediatras, que afirmaram que o contato com os condicionadores poderia prejudicar a saúde dos alunos. Um dos diretores relata que, em 17 anos de trabalho na área, é a primeira vez que vê esse tipo de mobilização vinda dos pais. Além disso, ele afirma que os filhos não reclamam nem apresentam indisposição.

Equilíbrio é o segredo

Equilíbrio é o segredoEm outra instituição a estratégia adotada é observar o clima da cidade antes de ligar o aparelho. Como o local é arborizado e apresenta um bom índice de umidade, os professores estimulam os alunos a brincar fora da sala. Desta forma, há um equilíbrio entre o uso sistema de climatização das salas e o contato com o ambiente externo.

Este é o exemplo dado pela atriz Juliana Amorim para procurar a sua filha de dois anos e meio. Em entrevista ao ClicRBS, ela afirma que prefere que as salas não tenham ar condicionado e apóia as brincadeiras mais naturais:

— Querer que a criança viva trancada em uma sala gelada é privá-la de um contato direto com a natureza, que é muito saudável. Melhor levá-la para a piscina e para fazer atividades ao ar livre, como tomar banho de mangueira e encher bexiga — sugere Juliana.

A opinião dos médicos

Para os pediatras, desde que a temperatura esteja agradável e não prejudique o humor das crianças, não há contraindicações em relação ao uso de climatizadores. No entanto, do mesmo modo que o calor pode causar problemas, mudanças radicais de temperatura também podem prejudicar a saúde das crianças. É comum, por exemplo, as crianças desenvolverem gripe por causa da oscilação climática.

Além disso, é pela entrada e saída do fluxo aéreo a maior probabilidade das crianças ficarem doentes. Elas apresentam menos cílios na via aérea, deixando a filtragem do ar fica prejudicada. Afinal, quando se trata de crianças, todo o cuidado é pouco. Deste modo, é necessária a manutenção e limpeza do filtro dos aparelhos de ar condicionado.

Fonte: ClicRBS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *