[ x ] Fechar

Calor intenso causa mal estar em alunos de Porto Velho

  • 16 de março de 2013
  • Nenhum Comentário

calor sala de aulaAs altas temperaturas registradas em Porto Velho (RO) vêm prejudicando os estudantes da Escola Estadual Getúlio Vargas. Os alunos não conseguem suportar o calor intenso e acabam passando mal. Isto os motivou a reivindicar aparelhos de ar condicionado nas salas. De acordo com a direção da escola, a Secretaria de Educação de Rondônia (Seduc) já tem conhecimento do caso e os ofícios para o projeto de instalação dos condicionadores de ar já foram encaminhados.

O lado dos alunos

?É só entrar na sala de aula que a gente começa a pingar de suor?, comenta o aluno Cristofer de Lima. Ele afirma que muitos passam mal dentro das salas devido ao calor insuportável.

A queixa mais recente foi da estudante Áurea Vitória. Na última quarta-feira (13), a aluna passou mal dentro de uma das salas depois de terminar a aula de educação física. ?Comecei a tossir, ficar sem ar, aí fui ao banheiro para ver se melhorava e quase desmaiei?, relata.

O que diz a Escola

E.E. GETÚLIO VARGASDe acordo com a diretora da escola, Adeídes da Silva, para que a escola possa receber os novos aparelhos de ar, primeiro ela deve passar por uma reforma na instalação elétrica.

?Os alunos têm que entender que a escola Getulio Vargas não está abandonada. O problema não é resolvido com R$ 1 e sim R$ 169 mil para modificar só a instalação elétrica da escola, sem contar a compra do transformador novo para os condicionadores de ar?, afirma a diretora.

Além de Getúlio Vargas

Em entrevista ao G1, a coordenadora regional de educação da Seduc em Porto Velho disse que das 97 escolas estaduais presentes na capital, 61 não possuem condicionadores de ar. Para que elas recebam os aparelhos, engenheiros estão revisando as instalações elétricas para que eles possam ser colocados. “Licitamos e compramos os aparelhos para as escolas que estão faltando, algumas já receberam os condicionadores de ar, outras passam ou vão passar por revisão da instalação elétrica, como é o caso da Getúlio Vargas”, explica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *