[ x ] Fechar

Calor extremo é chamado de “Lúcifer” na Europa e faz pessoas recorrem às cavernas

  • 10 de agosto de 2017
  • Nenhum Comentário

Enquanto aqui no Brasil estamos no inverno, em alguns países do Hemisfério Norte o calor extremo tem castigado a população. Na Europa a onda de calor é a pior dos últimos 14 anos e 11 países declararam emergência. Abaixo vamos explicar mais sobre esses acontecimentos:

Leia também: Saiba quais são as cidades mais quentes e as mais frias do mundo

Fenômeno “Lúcifer” deve se repetir mais vezes na Europa

A onda de calor na Europa é sem precedentes na última década. Mais de uma dezena de países anunciaram planos de emergência contra o calor e solicitam que os cidadãos adotem medidas de proteção, como permanecerem em locais cobertos durante os horários de maior risco a saúde e se hidratar com maior frequência.

As medidas tomaram força quando foi noticiado que pessoas morreram na Polônia e na Romênia devido ao calor. Vale lembrar que em 2003, ocorreu uma das piores ondas de calor da história na Europa, chegando a mais de 50°C e vitimando mais de 20 mil pessoas.

Em países que já declaram emergência como Itália, Suíça, Hungria, Croácia, Romênia, Sérvia, Bósnia, Espanha e França, autoridades aconselham que vizinhos façam contato com moradores mais idosos para garantir que a mesma tragédia de 2003 não se repita.

Leia também: Quanto o nosso corpo suporta diante de temperaturas extremas

O fenômeno, denominado de “Lúcifer” pelos cientistas, deve ocorrer com mais frequência nos próximos anos, afetando a produção agrícola, o abastecimento de água e até estruturas de cidades. Vilarejos nos Alpes suíços deverão receber ainda mais pessoas que desejam fugir do calor.

Para Omar Baddour, da Organização Meteorológica Mundial (OMM), “nos últimos 150 anos vimos um número relativamente limitado de eventos extremos, mas nos últimos 30 anos, estamos registrando mais e mais casos”.

Cavernas têm se tornado refúgio na França

Na verdade não é algo tão pré-histórico como pode remeter na primeira vez que nos deparamos com essa informação. Nesse exemplo francês, é um ponto turístico situado no sudeste do país, a mais de 100 metros de profundidade e com temperatura que não passa de 15°C. Essas cavernas da região contam com piscinas naturais e tem recebido cada vez mais visitantes devido a beleza e as temperaturas amenas.

“As pessoas afirmam que é ótimo desfrutar deste ar condicionado natural”, diz Linda Benini, administradora da Gruta de Saint-Marcel, que fica na região de Ardèche e recebe entre 400 e 600 pessoas por dia no verão.

Leia também: Estudo mostra que o calor vai atrapalhar cada vez mais o nosso sono

Já a gruta de Choranche, perto de Lyon, costuma registrar cerca de 300 visitantes por dia, mas nesses dias de calor o fluxo tem aumentado para até 1.400 visitantes diariamente.

O diretor das cavernas de Balme, Michael Colomb, diz que a temperatura agradável dentro das cavernas se torna um atrativo a mais  para incentivar o público, “quando temos temperaturas como estas, comunicamos nas redes sociais e em nosso site as temperaturas dentro das cavernas, entre 12 a 15 graus o ano todo”. De acordo com o diretor, o aumento de visitantes chegou a 20%, recebendo 550 pessoas por dia.

Esse registros de temperaturas extremas tem chamado atenção ao redor do mundo a cada anos que passa. Aqui mesmo no Brasil, o verão foi bem intenso e mesmo que estejamos no inverno atualmente, muitas cidades onde o frio da estação era uma realidade diária em anos anteriores não tem se confirmado em 2017 e a cada ano que passa tem sido menos intenso.

Deixe sua opinião sobre esses fenômenos climáticos, como tem impactado sua rotina e o que nos aguarda nos próximos anos :) Até a próxima!!!

Redação do Portal WebArCondicionado. Com informações de G1 e Estadão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *