[ x ] Fechar

Aumento da temperatura da Terra poderá causar “mortes em massa”

  • 20 de outubro de 2015
  • Nenhum Comentário

Aumento da temperatura da Terra poderá causar “mortes em massa”Um grupo de elite da climatologia está pedindo que governos pensem nos riscos de o planeta esquentar de 4ºC a 7ºC, fenômeno que causaria o colapso na Terra. Uma pesquisa iniciada em 2013 nos EUA, na Índia, na China e no Reino Unido, agora está sendo desenvolvida também no Brasil.

O estudo diz que a probabilidade de o aquecimento da Terra ultrapassar 4ºC é baixa, porém, as possíveis consequências podem ser tão drásticas que os governantes devem considerá-las ao tomar decisões sobre os cortes de emissões de poluentes.

Cientistas se reuniram em Brasília para apresentar um vídeo onde mostravam de forma explícita o que pode acontecer com o Planeta se o aquecimento global sair do controle e a temperatura aumentar. Entre eles, Carlos Afonso Nobre e José Marengo, membros do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas, e o Sr. David King, representante da instituição para Mudanças Climáticas do Reino Unido.

Imagens de florestas queimando inteiras, lavouras mortas e inundações foram criadas para encenar um possível apocalipse. No meio do vídeo uma narradora gritava “mortes em massa para pessoas que não tiverem ar-condicionado 24 horas por dia”, “migrações forçadas” e “nos tornaremos parte de um ambiente extinto”, sentenciava ela.

Opinião dos pesquisadores
Os piores cenários de mudança climática foram mostrados, além de ondas de calor acima insuportáveis para a capacidade fisiológica do ser humano. Segundo o Sr. David King, com um aquecimento de 4ºC a 7ºC, mortes múltiplas podem acontecer de uma vez em várias partes do mundo.

“Com mais de três dias com temperaturas superiores a 40ºC e muita umidade você não consegue compensar o calor pela transpiração e morre. Estamos olhando para perdas maciças de vidas”, afirmou King.

De acordo com Carlos Nobre, prevenir os riscos de um aquecimento extremo do Planeta é o mesmo que fazer um seguro residencial, “mesmo com probabilidade baixa de um desastre, é algo que não dá para não fazer, porque os custos do impacto são basicamente impossíveis de manejar”, explica ele.

Beatriz Oliveira, da Fiocruz, falou sobre os riscos de muitas pessoas morrerem no Brasil, principalmente nas regiões Norte e Nordeste. “Você poderia ficar exposto e realizar atividades externas no máximo por 30 minutos. O resto do dia teria de passar no ar-condicionado”, disse ela.

Redação do Portal WebArCondicionado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *